3 de fev de 2012

Lugares - Serra do Sana, Macaé.

O Famoso Pico do Peito do Pombo, que fica a 2 mil metros de altura. Visto à distância, realmente parece um pombo encarapitado na rocha. Para subir e descer é necessário ter a acessoria de um guia e o dia todo para isso, pois leva em média 7 horas no trajeto. Simbolo do Sana. De lá, tem-se uma vista panorâmica de Cabo Frio, Búzios, Casimiro de Abreu, Macaé e Rio das Ostras.

Pedaço de paraíso à 150 kilômetros do Rio de Janeiro, a Serra do Sana é, ainda, um dos lugares que mantém quase intocada a sua mata original, resquícios da Mata Altântica que ainda não foi completamente devastada pelo homem na sua ambição desenfreada e pela especulação imobiliária que devora a tudo como um cão do inferno. O Sana é um dos distritos serranos pertencentes à Macaé. Da cidade até o Sana, via serra, são em torno de 40 km a serem vencidos. Na região serrana há também os outros lugarejos, como Córrego do Ouro (de onde surgiu a cidade Macaé), Glicério e, o topo, Frade, que poderei vir a comentar em outra postagem, mas que vc pode ter uma boa base de sua História aqui neste site.

Mas o melhor acesso ao Sana para quem vem do Rio de Janeiro é, sem dúvidas, por Casimiro de Abreu. Politicamente, o Sana pertence à Macaé, embora ela seja muito mais casimiriense e é graças à Cidade do Poeta que o distrito sobreviveu por tanto tempo intocado.

Para chegar ao Sana, vindo do Rio: Saindo da Ponte Rio-Niterói, seguir a Rodovia Niterói-Manilha (BR-101) em direção à Campos, até Casimiro de Abreu.
2ª opção - Estando na Rodovia Amaral Peixoto (RJ-106), seguir até Barra de São João, e entrar na estrada de Rio Dourado (RJ-162, Casimiro-Trajano) até encontrar com a Rodovia Rio-Vitória (BR-101) e virar à esquerda para Casimiro de Abreu.


Exibir mapa ampliado

E sobre o que há de mais belo no lugar? Há muito, para quem gosta de vida pacata e mato. Exceto pelo funk na praça, promovido por espíritos de porco vindos da casa do carai, um desleixo permitido pelo poder público macaense, que se mostra incompetente neste caso. Vc encontrará lá o céu bem perto; a mata verde, fechada e brilhante; cachoeiras e córregos de águas cristalinas e energizantes. Também conhecerá o povo local, pessoas que realmente sabem viver a vida, entre rippies e forrozeiros. E, se vc for um desses sortudos agraciados por visões místicas, poderá encontrar algumas criaturinhas elementais fugindo e se escondendo, ou de tocaia só te vigiando. Há várias fotografias desses carinhas em exposição em uma das lojinhas locais.

Há diversas pousadas pitorescas há preços muito bons (tipo R$ 50 a diária para 2 pessoas), campings para quem não se importa com conforto e pensões que servem comida simples e muito boa, como a comida da roça. A população super reduzida (um pouco mais de mil pessoas) é um grande atrativo, mas, de uns 10 anos para cá, o lugar começou a ser invadido por uma gentinha nada a ver, que vai para lá pra perturbar a paz local com sons altos no carros, tocando o pior do funk. Também não é um lugar para grandes excursões. Se tiver 30 pessoas reunidas, já é uma multidão. Portanto, fuja da alta temporada e feriadões! É um lugar para se encontrar paz, harmonia e ouvir a natureza, e não pra curtição e desperdiçar energias com falatórios inúteis e manifestações artificiais de alegria, como quem vai para praia.

Casa à venda no Sana. Isso + computador + internet + uma graninha para manter tudo isso, é o que chamo de riqueza e sonho a ser alcançado!

São três as cachoeiras, que vem despencando desde o Pombo: a Pai, com uma queda de 10 metros e que o pessoal adora pular; a Mãe, com uma queda bem menos; Sete-quedas, uma escadinha natural terminada num delicioso foço, bom pras crianças e gente como eu, rs.

"Não tire nada além de fotos/ Não mate nada além de tempo/ Não deixe nada além de pegadas..."




E, por muito tempo, o Sana foi o reduto de rippies e reggaes, que hoje atuam como donos de lojas de artesanato e pousadas. Mas de lá saiu uma das melhoras bandas de forró pé-de-serra, a Raiz do Sana, sintetizando toda a simplicidade e vida calma que o lugar oferece.



Para saber mais sobre o Sana, acesse: Portal do Sana.

2 comentários:

poressaspaginas disse...

Que bacana! Eu nunca tinha ouvido falar do lugar, achei bem interessante! Pacato, pra recarregar as energias mesmo. Muito bom!

Pat Kovacs disse...

E recarrega de verdade!
Obrigada pela visita e comentário =D
Bjos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...