27 de jun de 2013

Mangá - Shunkaden, do Clamp


Não sou exatamente fã do Grupo CLAMP, embora tenha duas coleções completas de mangás e uma terceira encaminhando (Knight Magic Rayearth, Chobits e RG Veda, respectivamente). Há algo nas histórias e desenhos dessas Mangaka que me encantam e me irritam ao mesmo tempo, uma dubiedade de amor e ódio. Obviamente que me encantam mais do que irritam, senão não gastaria meus créditos com elas. Na verdade, o que me irrita é a parte frívola, kawai, das histórias. Prefiro histórias densas e sérias. Mas os enredos são sempre muito bons, daí vem o meu antagonismo amoroso, rs.

Nos últimos tempos (contando a partir de quando retornei às aquisições de mangás, depois de quase 10 anos longe disso), estão publicando no Brasil histórias curtas de quadrinhos orientais, sendo algumas até fechadas em edição única. Apesar de não ter uma história tão bem desenvolvida quanto em uma série, existe o lado bom que supera o lado negativo: o financeiro. Também evita-se as enrolações e encheções de linguiça, como acaba muito ocorrendo em histórias mais longas, principalmente àquelas que tem dezenas de capítulos.

Shunkaden, do Clamp, é uma dessas edições. Já foi publicada e saiu de circulação há alguns meses, assim como outro mangá edição única do CLAMP, A Pessoa Amada, também publicada pela Editora New Pop. No caso, perdi de bestagem o segundo e me arrependi. Para não sorver novamente esse pavoroso sentimento, adquiri o primeiro, assim como fiz, agora a pouco, com GATE 7.

Apesar de já ter adquirido há alguns meses, ainda não obtive o devido tempo para ler e apreciar o Mangá. Portanto, assim como está sendo com todas as últimas postagens sobre os quadrinhos orientais, esta aqui é apenas para informar, mas não sei se será uma informação útil, pois não sei se ainda se encontra à venda em algum lugar. No site da New Pop, não há loja virtual, então eles aconselham que se procure por lojas de quadrinhos. Na internet, certamente, se encontrará, novo e de segunda-mão.


Há muito tempo… havia uma garota muito bonita chamada Chun Hyang. Ela se apaixonou pela primeira vez por um yangban (nobre) chamado Mong Ryong, superando a diferença social e tendo seu amor correspondido. Mesmo ficando separados, mesmo que outros se declarassem a ela e ela fosse presa por rejeitá-los, Chun Hyang continuava a amar somente Mong Ryong…
Essa é uma antiga história de amor contada na Coréia. Chun Hyang é considerada uma mulher fiel e ainda hoje, é admirada pelas pessoas. Porém… Esta Chun Hyang é “um pouco” diferente.
Shunkaden

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...