31 de out de 2013

Hoje - Halloween ou Dia das Bruxas

Por consequência da globalização, hoje se comemora o Halloween ("All Hallows' Eve" = vigília de Todos os Santos) em vários países do planeta, inclusive aqui no Brasil, que importou a ideia, mas apenas a sua parte festiva e profana, descartando - ou nem tomando consciência - de seu sentido essencial e/ou sua História.

Como já fiz uma postagem a respeito no Halloween do ano passado, não repetirei as informações, mas caso queira ler e saber um pouco mais sobre esta data, basta clicar aqui :)

O Halloween é também popularmente chamado de Dia das Bruxas, que no princípio não recebeu essa conotação por diversão, mas como termo pejorativo que profanasse o culto pagão à terra, pois neste dia se comemorava o final da colheita e os preparativos para o inverno que se avizinha (isso lá no Hemisfério Norte, de onde se originou a festividade), o Festival de Samhain. Foi uma das diversas formas que a Igreja Católica usou para difamar e endemonizar uma Cultura e Tradição que não condiziam com seus interesses.

Símbolos presentes no Halloween: 

Complementando a postagem do ano passado, trago um resumo sobre a simbologia dos elementos que são usados e identificam a festividade. Cabe aqui lembrar que tudo aquilo hoje visto como comum e corriqueiro, tem seu significado muito mais amplo e pensado. O que hoje se usa meramente por decoração, na sua concepção havia importância e motivo para usar esse ou aquele símbolo.

Abóboras ( Jack o' Lantern) - Vem de uma lenda irlandesa, em que Jack, um ébrio metido a esperto, enganou o Diabo algumas vezes, prendendo-o primeiramente na forma de uma moeda e depois dentro de uma fruta. Barganhou de que quando morresse o Diabo não poderia reclamar sua alma. Jack morreu, Deus não permitiu sua entrada no Céu e o Diabo, que é bom em cumprir suas promessas, não pode trazer o ébrio safado para o Inferno. Então, Jack se ferrou, sendo condenando à toda eternidade a vagar pela escuridão, carregando um nabo com um carvão aceso para iluminar seus caminhos. Isso prova que o Diabo cumpre suas promessas e ainda tem complacência com algumas almas, hahah!
Ah! Falei em nabo, não é? Pois era assim que as lanternas eram confeccionas, com nabos e batatas, na Irlanda e Escócia. Na Inglaterra, usava-se beterrabas e, nos Estados Unidos, os imigrantes passaram a usar a abóbora, vegetal nativo que se prestou muito bem ao serviço :)
E para que serve Jack o' Lantern? As lanternas feitas com legumes eram colocadas nas janelas, para afugentar os maus espíritos errantes, pois no Halloween ou Samhain, os Espíritos daqueles que morreram no ano anterior descem à Terra para rever os vivos, mas alguns, que são maus, causam muitos transtornos, daí também o porque de se acenderem fogueiras.

Bruxas - Hoje elas são apenas enfeites e fantasias, mas na época elas eram invocadas na intenção de se desmoralizar a festividade pagã, dizendo que Halloween era uma festa das bruxas, em que elas se revestiam de maior poder para fazer mal às pessoas de bem. Vale lembrar que o termo 'bruxa' era usado para designar todos aqueles que não eram Cristãos nas regiões dominadas pelo Catolicismo, e aqueles que praticavam a medicina natural, como Curandeiros, Parteiras, Benzedeiros, ou ainda pessoas que praticavam artes divinatórias.

Cores - Preto é uma cor que não é cor, mas ausência de luz. Assim como o branco que não é cor, mas luz. As roupas escuras eram muito usadas antigamente. O preto traz uma conotação negativa que remete à obscuridade, à morte, às Trevas. Mas também pode representar a sobriedade, dignidade, introspecção, mistério. 
Laranja - É a cor da energia, a cor do nosso Sol, a cor do Plexo Solar, o chakra responsável pela canalização de energias entre corpo físico e astral.
Roxo - É a cor da magia, do misticismo, da religiosidade, da intuição.

Gato Preto - Por muitos séculos (e absurdamente ainda hoje!), os gatos pretos foram amplamente usados pela Magia, pois acreditava-se (e pelo jeito ainda se acredita!), que eles possuíam poderes sobrenaturais. Na Idade Média, acreditava-se que as bruxas podiam se transfigurar em gatos pretos. Outra crença dizia que eles eram espíritos dos mortos que se materializavam. 
Seja lá as crendices que atribuíam ao felino, a verdade é que ainda hoje se perpetua essa imbecilidade de dizer que os pobres animais dão azar, e ainda são usados em práticas de feitiçaria, sendo cruelmente imolados em rituais para lhes retirarem o sangue. No livro de São Cipriano tem várias receitas que se utiliza o gato preto e, nenhuma, o bichinho tem sorte... e não querem ter azar depois disso, né?

Maçã - É a fruta proibida, associado ao Amor e ao Prazer, por isso é um símbolo da Vida.

Morcego - Por ser um animal de hábitos noturnos é associado às Trevas. Apesar de possuir uma visão deficiente, tem uma percepção espacial apuradíssima, daí se dizer que eles enxergam além da matéria. 

Travessuras ou Gostosuras - É a brincadeira em que as crianças, fantasiadas, vão de casa em casa pedindo doces e, se lhes recusam, elas aprontam alguma travessura, como cantar uma musiquinha desagradável. Essa brincadeira está presente em vários povos da antiguidade e a que se refere ao Halloween vem do século 9. O doce oferecido era o "bolo de almas" e a criança que ganhava o seu pedaço se comprometia em rezar por alguém da família que falecera.

Vassoura - Artefato usado para limpeza material e astral, acredita-se que se possa varrer para fora as energias nocivas de um ambiente. No caso da vassoura de "limpar" energia negativa, essa é usada apenas para esse propósito. Apesar de soar machista, é um símbolo feminino.

Velas - Estas sempre foram e ainda são o símbolo da luz, da iluminação, por motivos mais que óbvios. Usadas no Halloween na Jack o' Lantern e também para afugentar maus espíritos.

Isso é um resumo, logo o assunto não se esgota aqui e nem na postagem do ano passado, rs. Fica como homenagem ao dia de hoje, independente de sua nacionalidade ou se é alguma tentativa de aculturamento imperialista. Assim como diversas outras festividades antigas, é repleta de significados. Os povos antigos, pré-cristãos, concebiam a terra como extensão da Divindade, pois era ela que sustentava e geria a todos. Matéria e Espírito estavam em conexão, por isso não havia uma religião específica dos povos da terra. Religião vem do Latim "religare", que significa "religamento". A religião faz isso: religa o homem à Divindade, pois ele se desligou, afastou-se das coisas do Espírito em função apenas da Matéria. Isso, coincidentemente ou não, ocorreu quando o homem se afastou da Natureza.

Portanto, se você curte, acha legal o Halloween (ou qualquer outra comemoração estrangeira), não se prive de suas diversões - ou devoções - por falsa ideologia nacionalista. Há tempo e espaço para todos. Se não gosta, simplesmente se abstenha, mas não brade aos 4 ventos que o Halloween é uma festa demoníaca... ela é muito mais antiga que isso, mais antiga que a própria Igreja - e não foram os americanos que a inventaram.








2 comentários:

Ana disse...

Muito legal seu post. Não aguento mais esse pessoal dizendo que Halloween é "coisa de americano"...

Pat Kovacs disse...

Hahah! É coisa mais véia que americano na face da Terra XD
Obrigada pela visita, Ana Lúcia!
Bjoxxx!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...