26 de abr de 2016

Testando Material de Desenho, parte 08


Depois de um tempinho, volto com o novo testando material de desenho e pintura, mas este aqui será rápido - embora não tenha sido assim tão rápido de fazer.

O teste de hoje é com o lápis de cor Misturinha, da Faber Castell, que apesar de ter um visual bonitinho, não me agradou :/

O lápis tem a conhecida qualidade da Faber Castell. O corpo é temático e diferente para cada um, que recebe um nome que tem a ver com as cores que comporta, tipo Sol, Céu, Fogo etc. As minas são tricolores e até prometem um efeito bacana na pintura - sqn.

Eu até procurei tutoriais sobre o Misturinha, ou de qualquer outra marca que tenha esses lápis multicoloridos, mas só encontrei vídeos no Youtube, e não tenho paciência nenhuma para vídeos, ainda mais que esse povo fala muito.

Então fui pelo mais fácil: testei do meu jeito. Aí entra a questão: ou eu não soube utilizar e fazer bom proveito do recurso do Misturinha, ou o lápis não oferece o que promete.

Vamos ao teste:

Para ampliar, basta clicar na imagem com o botão direito do mouse e escolher "abrir em outra aba", pois só ampliando vai dar para enxergar alguma coisa da imagem.... tá, já percebi que minhas fotos são péssimas, e já providenciei uma solução para isso: usar a câmera de verdade e parar de usar a câmera do celular, que tá com um trinco por causa da mordida da minha cachorra, Adhara... bem, voltando à imagem, aí está o esboço da borboleta e ao lado o degradê com os 12 lápis da caixa Misturinha. Dessa forma, até dá para perceber as três cores contidas em cada mina, mas apenas em algumas delas.

 



Eu girei essa imagem, mas não sei porque ela continua na vertical! No pc ela aparece certinha, mas quando envio para cá, está como foi tirada :/ enfim...

Nessa segunda etapa do desenho, delineei toda a borboleta com o lápis "noite", que não dá um efeito mixado como esperava. Só de perto dá para perceber um pouco das três cores.





Procurei não forçar o lápis para dar mais intensidade à cor, pois aí mesmo que as cores sumiriam e ficaria apenas a mistura das três. Isso posso conseguir com lápis comum, não é preciso ter uma caixa específica para chegar a esse "efeito".

Nas patinhas e nas antenas foi usado outro lápis, que não lembro o nome. Devia ter anotado, eu sei...

Confesso que detestei esse trabalho, então não dei importância em ficar fotografando cada etapazinha da pintura. Aqui a borboleta já aparece completa. Decidi no meio do caminho pintar cada gomo da asa com um lápis diferente, para ver o efeito. Essa linha do meio é do caderno mesmo, afinal extrapolei o limite da folha :/

Como poderá conferir ao ampliar a imagem, não dá para perceber que se trata de um lápis tricolor, mas que apenas parece sobreposição de cores diferentes. Mais uma vez digo que não sei se eu que não soube usar o lápis ou se ele é ineficiente mesmo. 

Nessa etapa colori o fundo, que ficou bem tosco. Usei um só lápis, que mistura verde com amarelo e outro verde mais escuro.

As flores ficaram por último, mas havia tão pouco a colorir nelas que não faz diferença.

Então... não gostei desse teste, não gostei do desenho e não gostei do lápis de cor Misturinha da Faber Castell :P

 Achismo Final:

O lápis de cor Misturinha, da Faber Castell, é um lápis que tem três cores na mina, mas não distribuídas de forma homogênea, ficando quase misturadas. Para se conseguir o efeito com as três cores, apenas pintando com traçados. Da forma como utilizei, as cores se misturam, formando uma quarta cor, e perde-se o possível efeito pretendido. E a mistura fica horrível.

Sendo que em alguns lápis, parece haver apenas duas e não três cores, pois colocaram em alguns apenas tons mais escuros da mesma cor, ou cores muito próximas, como o verde com amarelo, amarelo com laranja, azul com verde.

Para criança colorir com rabiscos, deve ser mais interessante. Para quem quer fazer um trabalho mais elaborado, vai ter que desenvolver uma técnica para usar o Misturinha.

Talvez por ser um produto barato, influencie no preparo das minas tricolores, pois se você comparar com outras marcas que oferecem lápis multicoloridos, vê-se uma grande diferença na disposição das cores nas minas, e se usa cores contrastantes e não complementares, como acontece no Misturinha.

Abaixo o desenho finalizado. Depois trarei o teste rápido que fiz com um lápis multicolorido da Koh-I-Noor, que não é da linha mais cara, o Magic, mas o Aristochrom, que é bem mais barato e simples, e apesar disso, tem o efeito esperado que o Misturinha não proporciona.




Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...